O Nacional Futebol Clube realizou, na tarde desta quarta-feira (03), mais um treino coletivo, no estádio Carlos Zamith, zona leste de Manaus. O time se prepara para o duelo com o Remo/PA, no dia 14, às 17h, na Arena da Amazônia Vivaldo Lima.

O técnico Heriberto da Cunha, ao lado dos auxiliares Alan George e Ramon Guimarães, realizou um treino de dois tempos, com 40 minutos cada. No time titular, além de Osmar, o atacante Wanderley realizou seu primeiro coletivo, ao lado dos companheiros. Após o trabalho, o volante Osmar afirmou que a atividade foi produtiva e que o time está evoluindo.

“O time está acertando cada vez mais. O coletivo de hoje foi bom e mostrou isso. A equipe está se entrosando melhor e com isso, só tende a melhorar”, garante.

O jogador falou sobre as orientações dadas pelo professor Heriberto, fez auto avaliação e ressaltou o apoio extracampo do técnico e dos companheiros.

“Tem que ter autocrítica, claro que ainda falta, mas na minha opinião falta pouco e isso a gente adquire com trabalho, com dedicação. O professor é experiente, sabe ganhar o grupo, dar liberdade para a gente expor o que está sentindo, isso é importante para um grupo formado agora. Quanto mais se fortalecer fora de campo, com a comissão e os companheiros, as coisas acontecem melhor dentro de campo. Você conhece seu companheiro, sabe o que pode sugar dele e ele de você. Estamos no caminho e quem ganha com isso é o clube e a torcida”, disse.

Remo à frente

12695484_177729729261454_1010236555_o

Sobre o confronto com o Remo, Osmar declarou estar ciente da rivalidade entre as equipes, mas salientou que o mais importante é seguir com as vitórias e mostrar a evolução do trabalho.

“Eu sei que tem a rivalidade, que tem um tabu a ser quebrado, mas nosso primeiro objetivo é entrosar a equipe, pois no futuro tem frutos bem maiores e melhores a serem colhidos. A gente espera uma boa partida e manter o número de vitórias que é importante, mas em primeiro lugar fazendo um bom trabalho. ”

Osmar, natural do Rio de Janeiro, fez questão de ressaltar que se sente adaptado a Manaus e espera permanecer na capital amazonense por um longo período. “Estou gostando da cidade, das pessoas. Minha esposa Tamires também já está aqui e também se adaptou rápido. Espero ficar bom um bom tempo”, conclui.